Biografia

Carlos Alves iniciou o percurso profissional no Teatro em 2006. Concluíu a Licenciatura em Comunicação Social, em 2008. Integrou a Companhia do Teatro Ibérico, e a Associação Cultural e Pesquisa Teatral “Ditirambus”, onde ainda se mantém. Frequenta o Mestrado em Teatro – especialização em Artes Performativas, na Escola Superior de Teatro e Cinema.​

Camarim, em co-autoria com Ana Campaniço, foi o seu primeiro texto levado a cena, bem como a sua estreia na encenação (2014). Seguiram-se Direito ao Assunto, apresentado no Teatro Rápido (Lisboa) em Abril de 2014; Romeu e Julieta – A Revolta, A Confissão, Caídas em Desgraça, Piano de Baile, A Refém, A Minha Mulher Comporta-se Como um Homem, Carolina, Os Nossos Vizinhos Dormem Cá em Casa, Coisas de Mulheres e Sexo é Quando a Avó Quiser são outras das criações já apresentadas.

Do seu percurso como actor, no Teatro, destacam-se os espetáculos: El Quijote, com encenação de Célia Figueira; O Frio que Faz na Cama de António Manuel Revez; Assim Que Passem Cinco Anos e Amor de D. Perlimplim com Belisa em Seu Jardim de Federico Garcia Lorca; A Relíquia de Eça de Queirós, adaptação de Filomena Oliveira; Pluft, O Fantasminha de Maria Clara Machado; O Rei Está a Morrer de Eugène Ionesco; Tomai Lá do O' Neill de Filomena Oliveira; e Na Boca da Noite de Onivaldo Dutra.

É autor das rubricas de humor "Dias em Crónica" e "Panela de Pressão, na RDS Rádio (87.6 FM/ www.rds.pt).

Em 2015, participou na série Filho da Mãe do Canal Q, da autoria de Rui Maria Pêgo.

Em 2012, foi nomeado para o Prémio de Melhor Ator no CALE-SE - Festival Internacional de Vila Nova de Gaia, com a peça O Frio que Faz na Cama.

GALERIA